Carregando...
— Colunas e Artigos

Professores: curadores de conhecimento no mundo conectado

Foto de Mariana Mandelli
Autor Mariana Mandelli Coordenadora de comunicação Sobre o autor

Em tempos de excesso de informação e desinformação, educadores são centrais no desenvolvimento do pensamento crítico das crianças e jovens

Imagem de destaque do post

Imagem de David Mark por Pixabay

O papel de um curador é bastante discutido nas esferas jurídica e artística. Na primeira, é ele quem representa os interesses daqueles impossibilitados de fazê-lo; na segunda, sua função é selecionar, organizar e supervisionar a exposição de obras de arte. Na educação, no entanto, esse conceito ainda é pouco aplicado, especialmente no Brasil, apesar de se fazer tão necessário.

Em tempos de pós-verdade e infodemia, é preciso expandir a ideia de curadoria também para o universo educacional, trazendo os professores para o centro desse debate. Afinal, são eles os responsáveis pelos primeiros contatos de crianças e jovens com o conhecimento científico, matemático, histórico, linguístico, geográfico, etc. Também são os educadores que escolhem, em meio a tantas possibilidades e, claro, sob uma gama de obrigatoriedades dos sistemas de ensino , como apresentar tudo isso para eles. Há, portanto, muita responsabilidade e criatividade nessas tarefas.

A crença de que as novas gerações, formadas pelos chamados nativos digitais, aprendem tudo de maneira independente e autônoma precisa ser derrubada. Se isso realmente acontecesse, não teríamos dados como os apresentados pelo Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), que mostrou que 67% dos alunos brasileiros de 15 anos não conseguem diferenciar fatos de opiniões, e pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia (INCT-CPCT), que revelou que 60% dos jovens do País não sabem qual a finalidade dos antibióticos e 25% creem que vacinar crianças seja perigoso.

A escola é, e continuará sendo, o pilar central no desenvolvimento do pensamento crítico. A tecnologia não substitui o professor nem o ambiente escolar ao contrário: eles nunca foram tão importantes no desenvolvimento de habilidades que ajudem crianças e adolescentes a mediarem a sua relação com a informação e o conteúdo abundantes no mundo conectado.

Para as educadoras Lisa Donovan e Sarah Anderberg, autoras do livro “Teacher as Curator: Formative Assessment and Arts-Based Strategies”, publicado em 2020 nos Estados Unidos, a consciência do papel de curador do conhecimento por parte dos professores é fundamental para que eles repensem suas práticas em tempos digitais, passando a atuar também como facilitadores. “Quando você pensa em si mesmo como um curador, mapeando seu processo, isso cria um ciclo de feedback. Você constrói reflexão e cria uma situação em que está constantemente aprendendo. Essa é a beleza de ser professor”, explica Lisa.

Mas, para que isso ocorra na prática, sabemos que a formação docente precisa ser repensada, algo que vem sendo apontado por especialistas há anos no Brasil, para incluir conceitos de educação midiática, informacional e digital. Carecemos também de políticas públicas, em níveis municipal, estadual e federal, que realmente ouçam e olhem a diversidade de professores e contextos socioculturais de um país de extensão continental. 

Não se trata de incumbir mais uma tarefa aos docentes, uma classe trabalhadora sobrecarregada e sobretudo mal valorizada, mas sim de reforçar a importância deles em um mundo onde tudo parece mais acessível e disponível. Professores, mais do que nunca, ajudam a pavimentar e apontar caminhos e a educação é o principal deles. 

Foto de Mariana Mandelli

Mariana Mandelli

Coordenadora de comunicação

Mariana Mandelli é coordenadora de comunicação do Instituto Palavra Aberta.

Voltar ao topo
FAÇA
PAR—
TE

Venha para nossa rede de educação midiática!
Fique por dentro das novidades

Receba gratuitamente nossa newsletter

Siga nossas redes sociais

Que tal usar nossa hashtag?

#educamidia

Utilizamos cookies essenciais para proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de privacidade.

Política de privacidade