Carregando...
— Colunas e Artigos

Jornalismo pode despertar o olhar crítico dos alunos

As notícias são o meio mais confiável de saber o que está acontecendo no mundo, e praticar o processo jornalístico na escola é um caminho já consagrado para a formação...

Imagem de destaque do post

As notícias são o meio mais confiável de saber o que está acontecendo no mundo, e praticar o processo jornalístico na escola é um caminho já consagrado para a formação de leitores mais críticos e conscientes quanto à informação que consomem.

Ao fazer jornalismo, o aluno aprende que notícias devem ser objetivas e precisam mostrar diversos lados da mesma história, assim como entendem que fatos devem ser baseados em evidências e informações vindas de especialistas. Ao investigar e produzir reportagens o estudante também entra em contato com questões como escolha de pautas, pesquisa, recorte dos assuntos, edição de texto e imagens, e assim descobre quais escolhas técnicas e estéticas são feitas para transmitir uma informação.

O tema está contemplado no campo jornalístico-midiático da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), dentro da disciplina de língua portuguesa. Porém, todo o processo de investigação, pesquisa, síntese e produção de conteúdo – em suma, o processo jornalístico – pode ser uma estratégia educativa bastante eficaz em qualquer disciplina, avançando além de produção de notícias para a criação de conteúdo em linguagens diversas.

Aprendizagem ativa

É sabido que o aprendizado mais consistente é aquele desenvolvido por meio de experiências ativas de investigação e criação. Ao expandir as possibilidades criativas na sala de aula para incluir a produção de mídias, o professor promove uma aprendizagem mais profunda e significativa do conteúdo curricular, além de desenvolver as habilidades essenciais da educação midiática: o letramento da informação, a autoexpressão e a fluência digital.

Os benefícios educativos não param por aí. A produção de conteúdo não-ficcional estimula o engajamento do aluno com o mundo além da sala de aula. Ao pesquisar, conectar e sintetizar informações, o aluno é levado a praticar o pensamento crítico de ordem elevada, e também as chamadas habilidades do século 21: comunicação, colaboração e criatividade.

Orientando o processo

Para que a criação de mídias seja uma estratégia de aprendizado realmente eficaz, o professor deve orientar o processo de forma bastante intencional, em três etapas distintas: observação, investigação e criação.

A primeira etapa é estimular a observação e reflexão. O processo jornalístico parte sempre de uma pergunta: o que queremos descobrir? Que histórias podem estar contidas neste assunto? Estimule o aluno a ir além da simples descrição de um tópico, ativando sua curiosidade.

Seja qual for a disciplina, podemos investigar o impacto de fenômenos naturais ou sociais em nosso dia a dia, pesquisar seus antecedentes ou evolução ao longo do tempo, ou conhecer personagens ligados ao tema. Nesta fase, exploramos os diversos ângulos de um mesmo assunto e definimos a pergunta disparadora.

A partir dessa definição, a segunda etapa é a investigação. Esta é a oportunidade de conduzir de forma estruturada o processo de pesquisa, explorando o que são informações confiáveis e onde encontrá-las. Quais seriam fontes adequadas para esse assunto, e quem podemos entrevistar?

Leve o aluno a registrar que outras perguntas surgiram após a investigação inicial, e decida como serão feitos os registros (texto, visuais, entrevistas, vídeo) que darão suporte à investigação.

Na última etapa, é preciso orientar a criação do produto final. Como iremos relatar essa história? Que formato é o mais adequado para destacar o que queremos transmitir? Podemos contar histórias através de textos, fotos, gráficos, mapas, vídeos explicativos, entrevistas, documentários e até quadrinhos. Vamos criar ou pesquisar imagens? Temos o direito de uso delas? Estimule o pensamento visual com rascunhos e storyboards, e o planejamento cuidadoso das etapas de produção.

A criação de mídias na escola cumpre finalmente o seu papel principal de formação do cidadão quando permitimos a publicação de conteúdo para uma audiência real, levando o aluno a entender a comunicação como forma de participação responsável e atuação positiva na sociedade.

Voltar ao topo
FAÇA
PAR—
TE

Venha para nossa rede de educação midiática!
Fique por dentro das novidades

Receba gratuitamente nossa newsletter

Siga nossas redes sociais

Que tal usar nossa hashtag?

#educamidia