Carregando...
— Colunas e Artigos

5 dicas para se informar em tempos de pandemia

Foto de Mariana Mandelli
Autor Mariana Mandelli Coordenadora de comunicação Sobre o autor

O mundo enfrenta a maior crise de saúde pública deste século e a dimensão do impacto da pandemia do novo coronavírus ainda é imprevisível em todas as áreas,...

Imagem de destaque do post

O mundo enfrenta a maior crise de saúde pública deste século e a dimensão do impacto da pandemia do novo coronavírus ainda é imprevisível em todas as áreas, inclusive na comunicação.

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou o contexto de excesso de informações sobre a Covid-19 como uma infodemia, ressaltando que o número absurdo de conteúdos publicados e compartilhados diariamente pode gerar ansiedade e pânico, ainda mais quando se trata de mentiras e boatos – mais conhecidos como “fake news”.

Os cinco passos abaixo podem ajudar na busca por informação qualificada sobre esse tema que domina o noticiário há dois meses. São eles:

1) Não compartilhe conteúdos sem fonte ou autor

A quantidade de prints, imagens e textos compartilhados nas redes sociais sobre o novo coronavírus é estrondosa. Na ânsia de informar as pessoas de quem gostamos sobre um tema tão urgente, a chance de verificarmos a origem desses conteúdos fica ainda mais baixa. Não se deixe dominar pela angústia e pela pressa. Quando passamos para frente uma informação, perdermos o controle sobre ela. Imagine compartilhar mentiras sobre curas e medicamentos, induzindo pessoas a um falso tratamento? Não confie em tudo que você recebe.

2) Busque fontes oficias e autoridades de saúde

Para se informar sobre o uso de máscaras, necessidade de isolamento social e quando ir ao hospital, por exemplo, procure sempre o site ou as redes sociais do Ministério da Saúde e da OMS. Não se deixe levar por discursos ideológicos quando se trata da sua vida e das pessoas ao seu redor. Essas entidades são formadas por especialistas e pesquisadores que se dedicam a isso há muitos anos.

3) Valorize o trabalho da imprensa profissional

Muitos veículos de comunicação estão empenhados na cobertura da Covid-19 há semanas, trazendo números, análises e entrevistas com médicos e cientistas diariamente. Eles são a ponte entre o público e as autoridades de saúde, além de revelarem o cenário do sistema de saúde e os efeitos da doença em outras áreas. Lembre-se que os jornalistas colocam suas vidas em risco para cobrir uma pandemia.

4) Siga médicos, pesquisadores e divulgadores científicos

A explosão de informação sobre o vírus abriu ainda mais espaço para influenciadores que atuam na área da saúde pública e da ciência na internet – muitos deles viram o número de seguidores aumentar exponencialmente nesses meses. Alguns são bastante pedagógicos e traduzem a linguagem médica e científica de maneira educativa para o público leigo. Mas não esqueça de checar as credenciais dessas pessoas. Procure o registro profissional deles nas plataformas adequadas e também o currículo lattes.

5) Não entre em pânico

O excesso de informações sobre um tema pesado como esse pode afetar a sua saúde mental. É importante saber seus limites e não acompanhar o noticiário e as redes sociais o tempo inteiro, mesmo que você se informe em fontes equilibradas e confiáveis.

 

É preciso lembrar que essas cinco dicas não são limitantes. São apenas um guia para buscar informação em um leque variado e confiável de plataformas, sites e veículos. Diversificar a sua “dieta informacional” é tão importante quanto checar a origem das informações que você recebe.

Foto de Mariana Mandelli

Mariana Mandelli

Coordenadora de comunicação

Mariana Mandelli é coordenadora de comunicação do Instituto Palavra Aberta.

Voltar ao topo
FAÇA
PAR—
TE

Venha para nossa rede de educação midiática!
Fique por dentro das novidades

Receba gratuitamente nossa newsletter

Siga nossas redes sociais

Que tal usar nossa hashtag?

#educamidia